O banco central de Inglaterra aumentou o seu orçamento para pagar bónus e também o número de colaboradores ao ritmo mais elevado dos últimos vinte anos. O objectivo da instituição liderada por Mervyn King é ter mais pessoal e colaboradores mais motivados para fazer face às exigências que a actual crise impõe. O orçamento do banco para bónus aumentou para 8,1% dos salários este ano face aos 7% do ano passado, de acordo com o relatório anual da instituição. Já o número de empregados subiu 6% para 1.857, o primeiro aumento "significativo" desde 1987. "O aumento do número de funcionários decorreu do trabalho extra a que o banco teve de proceder dadas as suas novas responsabilidades", explicam os directores não executivos do banco no documento, onde acrescentam que "como reconhecimento do trabalho excepcional realizado no ano passado o banco aumentou o orçamento para bónus e pagamentos especiais". O salário do governador do Banco, Mervyn King, por exemplo, aumentou 2,5% para 297.920 mil libras, mas assim como os restantes membros da administração, o responsável não recebeu bónus.